sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Vergilio Ferreira



Não tenho dúvidas de que o nome de Vergilio Ferreira diz muito a muitos Gouveenses, embora se possam contar com os dedos de poucas mãos aqueles que já leram uma obra sua.
Este expoente da escrita e da cultura portuguesa, só por ser natural da freguesia de Melo, tem o 'nosso ADN'. É gouveense e isso basta para nos encher de orgulho.
No próximo Domingo, pelas 11 horas, a sua memória vai ser recordada uma vez mais na Biblioteca baptizada com o seu nome, com a entrega do prémio do concurso de 2008 que o Municipio instituiu e que no ano passado foi ganho por uma escritora lisboeta.
Nesse acto, vão ser anunciados os 'Ciclos Vergilianos' que terão lugar em Gouveia nos próximos dias 7 e 8 de Maio, com um programa que se espera culturalmente rico e que será organizado pela Câmara em parceria com a Universidade de Évora.
Nessas jornadas, o Teatro-Cine de Gouveia contará com a presença dos melhores conhecedores da vida e obra de Vergilio Ferreira, algo que a nossa sociedade civil poderá desvalorizar (o que é pena), mas que os académicos, estudiosos e interessados pelo 'tema' jamais desprezarão.
Embora uma coisa não tenha a ver com a outra, não é despiciendo sublinhar que a Praça de S. Pedro irá sofrer brevemente uma intervenção que também -mas não só- incidirá sobre o local que se vê na fotografia, onde todos identificam o busto daquele que muitos julgam ter merecido um Prémio Nobel da Literatura, o que não deixará igualmente de valorizar a sua personalidade.
Espera-se que com estas iniciativas e com a sua divulgação, possamos, a pouco e pouco, deixar de correr o risco de ouvir uma aleivosia como aquela que recentemente alguém da biblioteca ouviu num telefonema que recebeu com seguinte teor: Estou, é da Biblioteca? É sim. Olhe, daqui é da parte da Direcção Regional da Cultura. Queria falar com o Dr. Vergilio Ferreira. É possivel?
Pior é impossivel... Digo eu!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

coca-cola em Gouveia



Nem tudo corre mal.
A Coca-Cola vai investir em Gouveia.
O projecto passa pela aquisição da quase inactiva fábrica da Unicer, instalada na freguesia das Aldeias, de onde saiem os garrafões de 5 litros da água Vitalis.
Esta marca, apesar de conhecida no mercado das águas de mesa é, para Gouveia, uma 'marca branca', porquanto ninguém a identifica nem com a cidade, nem com o Concelho, nem sequer com a Serra da Estrela.
Aliás, a sede da Unicer é em Leça do Balio, o que pode fazer crer ao consumidor que a água que ingere é engarrafada no norte do País.
Não se sabe bem o que vai acontecer com este gigante mundial, mas não há região do mundo que possa desprezar ou ficar indiferente à presença de uma das maiores empresas planetárias no seu seio.
Na 6a feira próxima, às 12h, vão saber-se mais pormenores, pois a Unicer, a Coca-Cola e a Câmara de Gouveia (as três protagonistas deste 'negócio'), irão apresentar publicamente e falar nos contornos deste investimento nos Paços do Concelho.
Pelo que se sabe, a ideia passa pela multiplicação dos postos de trabalho e pela criação de uma marca de água própria, que poderá vir a chamar-se 'AGUAS DE GOUVEIA'.
Se assim fôr, o nosso Concelho obtém um triplo sucesso. Ganha mais emprego, esse emprego provém numa empresa robustíssima e o nome de Gouveia passará a figurar (espera-se que em todo o mundo) em muitos milhões de garrafas de água.
Eis um motivo de esperança e de regojizo para todos nós.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

IG e os cursos

No seguimento do meu post anterior “O IG em Gouveia”, recebemos um comentário que mereceu a nossa melhor atenção, e resolvi postar a resposta.
Entendam que não quis ofender ninguém nem prejudicar alguém ao postar o que postei.
Foi sim o meu interesse, alertar para um problema que assombra os alunos que de lá saem.
Sei também que os dois cursos, Gestão e Informática e de Restauração, existem e tenho estado atento a isso, alem disso acho bem que os alunos de outros cursos sejam participativos em actividades que mostrem a escola a todos, mas volto a perguntar:
E os carpinteiros? Mecanicos? Electricistas? Canalizadores e outras áreas técnicas de produtividade já mais que provada!
E esses?
Quanto aos cursos que ministram tenho um comentário a fazer:
A “Restauração”, não me parece que seja a área mais necessitada da nossa região, mas continuo a considerá-la como muito importante.
A “Gestão e Informática” seria sem dúvida importante se eles saíssem a saber programar, desenvolver software a serio com ferramentas a serio para entrarem no mercado a sério. Nunca a programar em linguagens básicas que não têm integrabilidade em ambientes reais. (Ex: Visual Basic)
Experimentem por exemplo Pascal, C++ Delphi, PHP ou até o Assembler. Isso sim, dá-lhes emprego garantido! Ou não é isso que os Srs querem?
Fico ainda disponível para listar áreas que têm saída só porque sei, e não porque me pareça. Claro que não será fácil para os docentes, mas a vida só é interessante quando é cheia de novos desafios.
Fica o meu compromisso, formem, bem formados, esses alunos em áreas com saídas lógicas e eu comprometo-me a coloca-los onde há ordenado e garantia de estabilidade profissional. Afinal, actualmente eu emprego 9 pessoas assim em Gouveia e mais outras tantas por fora de cá.

Volto a repetir-me:
Pensem no futuro dos miúdos e não no que é mais fácil ensinar-lhes.

Medicamentos mais baratos em Gouveia


Pois é. A Câmara não gasta só o dinheiro do Povo, como dizem uns poucos sem imaginação para mais.
Também lhe procura meter algum dinheiro no bolso.
Como em post anterior já foi dito, instituiu para os jovens três tipos de medidas, todas elas já em vigor, umas há mais tempo que as outras:
1ª- Paga viagens bimensais a Gouveia, por forma a que nos fins de semana possam estar por cá a animar a economia local e a reforçar os seus laços familiares.
2ª - Apoia o arrendamento jovem, subsidiando as rendas.
3ª - 'Subsidia' o IMT a pagar por jovens que queiram comprar casa ou terreno.
4ª - Isenta parcialmente as taxas devidas ao Municipio pela construção de habitação própria.
Estes apoios fazem com que saiam anualmente dos cofres da Câmara importâncias que chegam e sobram para, por exemplo, requalificar a Praça de S. Pedro.
Para os idosos, o Municipio está a fazer o que nunca se tinha feito e o que nunca nenhum partido da oposição pediu ou lembrou que se fizesse.
1º-Reduziu em 50% as tarifas do lixo e do saneamento a pagar pelos mais desfavorecidos.
2º-Reduziu em 50% os preços do consumo da água.
3º-Acabou de decidir que pagará 30% da parte não comparticipada dos medicamentos que forem receitados a cada idoso ou familia necessitada.
Estes apoios podem custar à Câmara a importância suficiente para, por exemplo, requalificar parte do Mirante do Paixotão.
Aqui está uma Câmara que produz eventos e a aumenta o poder de atracção de Gouveia (O carnaval foi um bom exemplo..), mas também não esquece o lado social, apoiando verdadeiramente quem mais precisa.
È claro que haverá sempre um qualquer alarve (sem ofensa!) que virá à estampa dizer que os apois são insuficientes e que se fosse ele a mandar disponibilizaria muito mais...
È claro que haverá sempre algum demagogo que virá a público dizer que em ano de eleiçoes 'com papas e bolos se enganam os ...'
Uma coisa é certa. O Municipio está atento e está presente neste periodo de crise e de dificuldades económicas.
Por isso mesmo, merece um justo reconhecimento.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

O IG em Gouveia


Do they really have a dream?

O IG é sem duvida uma escola que faz sentido. Este tipo de ensino é sem duvida uma boa alternativa, embora, desde sempre tenha sido considerado como, somente uma alternativa para quem não se safa no secundário.
Lembro-me de andar no secundário e ter colegas que não saíam da cepa torta e recorreram a uma escola profissional e passavam de alunos medíocres para faz-tudo-em-metade-do-tempo. Estranho isso não é? Na altura era na profissional de Trancoso. Não havia ainda IG suponho.
Mas não é isso que me trás ao assunto, são sim os conteúdos que move aquela escola.
Sabem o que por lá se lecciona? Sabem qual é o verdadeiro empenho que por lá se tem?
Pois, pelo que vejo é formar “Animadores Sócio Culturais”.
Eles estão em todas as festas, e muito bem, no carnaval foram dos melhores que passaram, e não estou a ser irónico, são mesmo bons!
E o resto? Que fazem estes miúdos depois de saírem dali? Há assim tanta saída para animadores cá na zona? E carpinteiros? Mecanicos? Electricistas? Programadores? Gente que seja produtiva e faça algo por isto.
Palhaços, com todo o respeito, dão jeito, mas tantos? Eu não emprego alguém por andar bem de monociclo ou por saber pintar bem a cara a outro. Nem eu nem ninguém.
Peço que este meu post não seja visto como uma critica destrutiva mas sim como um reparo a uma realidade que já é velha na casa.
Pensem no futuro dos miúdos e não no que é mais fácil ensinar-lhes.

Escola de Musica de Gouveia de boca tapada


Andei a espreitar na página Web da CMG e deparei-me com o resultado das votações do cortejo do carnaval do queijo 2009, e fiquei desiludido com a exclusão da Escola de Musica de Gouveia. Foram, para mim, o grupo mais carnavalesco, mais elaborado e o melhor momento de entretenimento que por ali passou.
Não sei porque, mas nem o 3º lugar apanharam, talvez pela letra, não sei não.
Fica aqui a minha solidariedade para esta casa que tanto bem faz pelos de cá!
Adorei ainda os abades de castanho que tocavam com muita pinta.

Será que é por serem assim inovadores que não lhe dão apreço?
Juntem-se ao clube… eu queixo-me disso à 11 anos!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Crise em Gouveia? Olhem que não...



O Senhor mais à esquerda, que é Secretário de Estado do Comércio do Eng. Sócrates, saiu da nossa Feira do Queijo, calcorreou a Rua da Cardia (Cardeal Mendes Belo) e depois andou alguns metros no Centro da Cidade, nas imediações da Igreja de S. Pedro.
Não sei se durante o certame disse ou não muitas coisas acertadas, mas diz quem ouviu que o seu comentário espantado e mais que justificado ao olhar para a esmagadora maioria das lojas, foi "então nesta terra está o comércio todo fechado com tanta gente nas ruas"?
Era Domingo, é verdade. Mas o feliz desabafo foi mais que pernitente. O que andam a fazer os comerciantes da terra? Será que a tão propalada crise só é sentida pelos outros ou é apenas propriedade do Primeiro Minstro, como afirmou -e bem- o Prof. Marcelo na seu missal dominical?
Mais uma vez, honra seja feita à loja dos chineses (sem ofensa), à loja de venda de produtos artesanais do mercado (mal feito fora), às papelarias, que já nos habituaram a abrir portas Domingo de manhã, a uma loja 'tipo trezentos' junto `Caixa de Crédito e ... penso que nada mais.
Quem esteve aberto trabalhou, presumindo-se que tenha ganho dinheiro.
Quem não esteve descansou e não ganhou, mas também não gastou.
Não sei se é comodismo, se é um problema cultural de fundo ou se, pura e simplesmente, os comerciantes que ficaram em casa ou optaram por andar a provar queijo já têm euros de sobra para viver, ao contrário do que, por exemplo, acontece em Seia, onde na Av. 1 de Maio, a principal, tudo quer aumentar o seu espólio... Que diferença!
Já se sabe que o argumento dos nossos homens é que se abrissem a porta correriam o risco de poucos ou nenhuns clientes lá entrarem, mas é confrangedor que não tenham a certeza que com elas fechadas nem um cêntimo lhes entra nos cofres.
Pior que isso é que não criam nos consumidores (nativos ou visitantes) o hábito de aparecerem e comprarem quando normalmente podem, ao fim de semana.
Assim é remar contra a maré. Mas como faz quem pode e obedece quem deve, prá frente Portugal.

Maldita PT

Durante anos fui cliente da CV e nunca me faltou nem Net nem telefone. 10 Anos ali, sempre fieis uns aos outros eles entregavam o serviço e eu pagava. Nada falhava, nem sei se era mais caro ou não.
Agora mudei de “casa”, e lá para onde fomos não há CV e teve que ser. Contrato com a PT. Era a coisa que eu mais temia… A serio.
E agora está à vista, Net, só às vezes (desde 6f que não se sente e nota-se no BLog) Telefone vai dando sempre, mas sem Net não há Voip e logo, paga e não bufa.
Maldita PT, que mal te fiz eu?
Foi e é do estado e nem a privatização te deu folego...

Volta CV que tás perdoada!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Mau Serviço


As enchentes em Gouveia têm sempre o reverso da medalha.
Há quem não esteja preparado para elas.
O cortejo de Carnaval de hoje trouxe milhares de pessoas à cidade, que na sua maioria se concentraram na Rua 25 de Abril, entre a Igreja e a Câmara Municipal.
Como já havia acontecido em anos anteriores, os cafés e as esplanadas estavam 'apinhados'.
Tratava-se de algo previsivel, pois o acontecimento não era surpresa para ninguém, muito menos para os comerciantes daquela zona, que já sabiam ou deviam saber com o que iriam contar.
O que faria alguém avisado, profissionalizado e interessado era comportar-se de forma a enfrentar uma tarde de Domingo bem mais agitada que as outras.
Mas não foi assim. Pelo menos num estabelecimento situado na rota principal do cortejo.
Podia insurgir-me contra a qualidade e eficiência do serviço de esplanada, manifestamente deficitário. Podia falar do péssimo estado das casas de banho, onde até as torneiras do lavatório são maltratadas. Podia questionar o ar de frete e de favor, quase sempre inimigos da simpatia, do responsável pelo espaço.
Mas o que verdadeiramente me levou a escrever este 'post' foi a incompreensão e a ingratidão do Senhor.
Numa mesa onde estiveram sentadas sete ou oito pessoas, todas sempre a consumir e a contribuir para o acumular dos Euros na Caixa, algumas crianças, aproveitando a época descontraida e as suas brincadeiras com os objectos de Carnaval que deliciam as contas bancárias dos empresários chineses, lá mandaram para o chão uns papelinhos, uma fitas e uns esguichadelas de spray colorido mas inofensivo. Inevitável, em qualquer lado do mundo.
Pois bem: Por cá, o impreparado homem da casa, mesmo com esplanada cheia -coisa rara-, podia ter aproveitado o momento para vender simpatia e fair-play, pois estava perante si muita gente que podia conquistar se tivesse brio no seu trabalho e se servisse com um sorriso no lábios.
Qual quê! Tacirurno (à boa maneira do espaço...), aparentemente indisposto e a revelar um amadorismo confrangedor.
Mesmo que tenha direito a dias melhores que outros, como todos nós, alguém devia aconselhá-lo a não ter muitos como este.
Mas já fica mal para si e para a imagem de Gouveia, que tenha começado a vociferar sem correcção, mesmo entre dentes, por causa dos resíduos (mais que normais neste dia) que as crianças ali deixaram ficar.
Concluindo, há por cá um amador encartilhado para abrir cafés que em vez de valorizar os seus clientes e a animação, a alegria, a cor e a vivacidade com que os filhos deles ornamentam a sua esplanda, ainda acha que deve reagir contra sujidade que os funcionários da Câmara amanhã vão limpar!!!
Assim, que ninguém receie o insucesso. Está assegurado...

O Carnaval em Gouveia

Simplesmente espectacular (dentro das limitaçõs de cada grupo)
Ora vejam... Muito bom.

















Pensativo!











E por fim:

Marisa a pousar para nós.
Obrigado.

Os caçadores


Na passada 6f a quinta de um amigo meu foi assaltada, aqui por Gouveia. É um sítio onde ninguém vai, não se vê da estrada e não é fácil adivinhar o que lá há.
Não, há um grupo de pessoas que a invade, convencidos de que é legitimo invadir, essa e outras quintas, de arma em punho como que se estivéssemos em guerra e como que se tudo fosse deles.
Esses cromos da sociedade que se julgam da elite porque caçam são na maioria das vezes uma elite que pisa culturas, rouba e estraga com a desculpa de que… tem licença. Licença para andar com o focinho virado para o céu em busca de um pobre bicho para lhe dar uma dose de chumbo.
Pois no dia anterior ao assalto, foi Quinta Feira, dia de caça, e esses prepotentes tarados e com a mania de que são homens no momento têm a arma, andaram por lá. Havia patas marcadas pelo chão por toda a quinta e até se nota onde deixaram a carroça que trazia tais bestas… Na madrugada de 6f voltaram ao local e mataram 2 porcos que estavam ali para criar desde o dia anterior. Sangraram-nos ali e levaram-nos para comer.
Estaremos em breve a comprar mais 2 porcos e a montar estratégia para que os próximos porcos a serem sangrados sejam os mesmos que sangraram os 2 anteriores.
Nessa zona, a caça já não é permitida, e mesmo assim, de cara destapada vão aparecendo e perguntam se não viu por ai um melro cair. De outras vezes dão tiros nas oliveiras… “sindroma de paspalho”

Espero poder postar em breve a captura destes porcos disfarçados de gente fina só porque caçam.


Já agora que há de tão fino caçar?
-Os terrenos não são deles!

É caro é?
-Mas eles roubam!

É sinal de coragem?
-Mas eles têm como adversários animaizinhos indefesos sem arma!

Tenham vergonha e sejam homenzinhos!

A todos os outros… desculpem o desabafo.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

'Gouveia mascarada'



Confesso que o Carnaval me diz pouco.
Não acho especial piada nem às brincadeiras que lhe estão associadas nem às indumentárias que são utilizadas.
Reconheço, porém, a imaginação e o trabalho insano que é produzido pelo Município e por várias Associações do Concelho na sua preparação.
E tenho a certeza que ninguém com os olhos abertos pode deixar de ficar agradado com o movimento, com a cor, com a alegria e com a animação de rua.
Pais, filhos, professores, amigos, familiares, auxiliares e funcionários de Instituições de Gouveia associam-se aos festejos e aos desfiles e transformam espaços habitualmente despidos de pessoas em áreas de interacção e de vida.
Hoje de manhã, era este o aspecto do Jardim da Ribeira. Verde como nos outros dias, mas muito mais cheio que nesses dias.
Começou a Festa do Queijo, que se espera atraia muita gente a Gouveia.
Os próximos dias demonstrarão que esta iniciativa foi, é e será uma aposta ganha, pois o que se pretende, afinal, é que possamos 'multiplicar' a nossa população e a nossa vivacidade durante o maior número possivel de dias por ano.
Associar o queijo ao Carnaval não é nenhuma ofensa para o queijo ou para o Carnaval. È antes uma forma de nos diferenciarmos dos outros (Mealhada, Loures, Loulé, etc) com um produto que é nosso, que tem uma imagem de marca e que vende no exterior. É também uma forma de valorizarmos e darmos vida a uma feira enfadonha e já muito gasta, como, de resto, são as de Seia e Fornos de Algodres. Mas é essencialmente um instrumento (mais um) para projectarmos a nossa terra e atrairmos quem queira passar entre nós quatro dias com actividade.
Quem se importaria de acordar em Gouveia sempre com ela mascarada de tanta gente?
Querem ver que alguém me surpreende...!!!

Ser ou nao ser Licenciado?


Juro que iso to nao tem nada a ver com o doutor ou com o Dr...

Eu estava numa festa do Arcozelo e alguém veio-me perguntar:
“-Então, vocês estão a contratar mais gente?”
Eu disse que sim, mas que não é fácil contratar licenciados, dado que sabem o que sabem…
E aí alguém que estava a ouvir a conversa disse assim:
“-Neste país quem não for licenciado está lixado!”
E eu respondi:
-Não, neste país, quem não prestar é que está lixado. O Licenciado que não preste, entra e sai num instante! Esse sim, é que está lixado!

Hoje, o Ricardo, que não é licenciado, tem e terá emprego por quantos anos quiser.

Um capricho ao meu amigo ACP.

Quantos de vocês têm um amigo? Todos têm, não é? Todos nós temos um amigo. Nem que seja um amigo de Peniche, mas é amigo na mesma.
Hoje o meu amigo deu-me uma prenda, a melhor, porque é só aos amigos que se dão as melhores prendas. Ou outros ficam com os restos.
Ora, o meu amigo, o verdadeiro amigo, deu-me uma, a prenda, a tal que eu esperava há dois anos.
Não tem que ter valor. E nao tem mesmo!
Desde o dia em que uma atravessada se atravessou na tua frente que eu espero por este dia.
Obrigado aqui em publico! Obrigado pela prenda. Nada há valor para o valor que a prenda que me deste. Para mim vale mais que as prendas todas que não me deste!
Um obrigado!

A boss is in the same boat as his people


Watch CBS Videos Online
Combater a crise?
Comecem por aqui. Vejam a diferença entre este vídeo e o discurso de um primeiro-ministro que diz a um povo desmotivado que ganha mais de 5 mil euros… Ao menos ficava calado.
Desculpem o facto de estar em inglês.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Não leia que não interessa!


Eu hoje estou desinibido e vou falar, ok?
Este sou mesmo eu!
Eu hoje recebi um documento, um oficio, um papel, como tantos que eu recebo e não leio e mando ler, mas este eu li. Tive que ler…
Então era um “Doutor”, ou um “Dr”, não sei… mas ele escreveu e mandou-me um ofício. Não sei se sabem mas eu sou uma pessoa importante, fora daqui. É que aqui não sou, e sou uma pessoa que recebe ofícios, de gente daqui que tem que mos mandar, se não há chatice…
Bem, o ofício era assinado por um Dr. que depois de assinar risca o Dr. que tem a seguir ao nome com a caneta que assina. Ora, ele exige que ponham nos Docs que ele assina o tal “Dr” e depois risca. Como quem diz: eu não gosto que me ponham cá isto, e meu nome é só “bla bla bla”, mas sem o Dr. Que chatice!
Eu não me atrevo a dizer que é ele, se não o gajo vai-me tentar lixar, mas também não sei se consegue, é que eu sou mesmo muito importante… mas só fora daqui!
Um dia vou tentar ser candidato a presidente da CMG e nem isso vou conseguir, só porque não é aqui que sou o que sou.
Não faz mal. É Fixe ser assim e passar o tempo a rir!
Um abraço a todos os que são assim e ao tal Dr ou Doutor que amanha vai ver que nada pode fazer…

Desculpem: Mais uma Festa!



A tradicional e velhissima Feira do Queijo adoptou há três ou quatro anos outra denominação, mais abrangente e atractiva.

Chama-se agora Festa do Queijo.

O que era antes uma mostra de queijo de cerca de cinco horas e de model0 já gasto, deu lugar a festejos de cinco dias e de cariz inovador.

O que antes trazia a Gouveia uma centenas de pessoas num curto espaço de tempo, traz hoje à sede do Concelho uns milhares de pessoas durante um fim de semana prolongado.

O que antes pouco ou nada representava para a economia local é hoje reconhecido como uma ajuda importante para os comerciantes da terra, designadamente, para os da hotelaria e da restauração.

Mais uma vez, o que esteve e está subjacente 'à benfeitoria' é a procura de um aumento do nosso poder de atracção e projecção no exterior, designio que nem todos entendem, mas que assenta como uma luva na aposta no Turismo assumida pelo Município.

Tenho para mim que o próximo executivo, seja ele qual for, só por desastre e por opção suicida, pode afastar-se deste caminho.

Gouveia não pode mais viver só para dentro. Precisa dos de fora como de pão para a boca.

Claro está que muitos daqueles que pararam no tempo, não entendem a medida.

Os que maldizem de Festas (sejam elas quais forem) e que não sabem ou não querem avaliar o custo/beneficio de cada iniciativa da coreografia Gouveense, só podem manifestar-se contra, embora não resistam em participar nas 'folias', o que não deixa de ser um paradoxo ou uma hipocrisia sem limites.

Mas como todos continuam a ser poucos, aqui se divulga o programa, para que ninguém deixe de se associar a mais este esforço colectivo:

20 de Fevereiro:

Sexta Feira 10h00 – “Heróis da História” – Desfile PedagógicoIG – Escola Profissional de Gouveia Concentração no Jardim da Ribeira com desfile até aos Paços do Concelho.

21 de Fevereiro:

Sábado 13h30 – Rota dos Pastores e do Queijo da Serra passeio turístico de Todo o Terreno21h30 – Gouveia com…vida no Carnaval Rancho Folclórico de GouveiaTeatro Cine de Gouveia.

22 de Fevereiro:

Domingo 09h30 – Saudação à cidade pela Sociedade Musical Gouveense “Pedro Amaral Botto Machado"10h00 – Feira do QueijoMercado Municipal 11h00 – Festival de FolcloreFrente ao Mercado Municipal 11h30 – Homenagem á Queijeira Jardim da Ribeira 15h00 – Cortejo Carnavalesco sob o tema “Carnaval do Queijo” sendo rainha do corso a modelo e actriz Marisa Cruz Concentração na Av.ª Botto Machado com desfile até aos Paços do Concelho 17h00 – Animação Musical Frente aos Paços do Concelho.

23 de Fevereiro:

Segunda Feira 23h00 – Baile de Carnaval c/ concurso de máscaras apadrinhado por “Raquel Henriques e Pedro Barroso”, no Pavilhão Municipal.

24 de Fevereiro:

Terça Feira 18h00 – Queima do Entrudo com espectáculo de pirotecnia, espectáculo cénico frente ao Paços do Concelho com cortejo para o Jardim da Ribeira onde decorre a Queima do Entrudo e espectáculo piro musical.

sondagens


Disseram-me que vários cidadãos do Concelho têm recebido telefonemas em casa de empresa(s) de sondagens.
É natural. As eleições autárquicas estão aí e alguns dos partidos e dos candidatos a candidatos não estarão dispostos a jogar à 'cabra cega'.
Ninguém quer ser 'carne para canhão' e antes de decidir se avança ou não para sufrágio, é compreensivel que pretenda obter o conforto de um estudo de opinião que avalie as suas aproximadas possibilidades de ganhar.
Pelo relato que me fizeram, admito que turtuoso, o primeiro teste terá sido feito há cerca de 2 ou 3 semanas.
Uma das perguntas feitas aos inquiridos, não sei se a única, porque não tive a sorte ou o azar de ser interpelado, era a seguinte (mais coisa menos coisa): Prefere Armando Almeida, João Amaro ou José Mota?
Não sei quais foram as respostas nem os resultados finais.
Mas há duas evidências que ressaltam. A primeira é que este estudo foi encomendado pelo PS. A segunda é que não agradou ao PS.
Foi encomendado pelo PS porque os nomes referidos assim o indiciam e porque, por norma, são os partidos que estão na oposição quem mais tem necessidade de medir o grau de notoriedade das suas 'tropas'.
Também por regra, quem está no poder já se sujeitou directa ou indirectamente a escrutínio e tem uma ideia mais fidedigna (ainda que sempre incerta) da imagem que tem perante os eleitores.
Não agradou ao PS porque depois dessa sondagem, foi encomendada uma outra, ainda em curso, que afasta do cenário eleitoral aqueles três nomes e lança um outro chamado Santinho Pacheco.
Quer isto dizer que aquelas três personagens poderão não ter tido a aceitação do Povo que o PS esperava, o que levou o Partido a ter de experimentar um regresso ao passado, tirando da 'cartola' o antigo Presidente da Câmara.
Nada se me oferece dizer acerca das escolhas que cada Partido faz, mas preocupa-me que a capacidade de regeneração e de inovação da classe politica socialista possa ser tão decepcionante.
Mal caminha uma Organização (partidária ou outra) quando não consegue arranjar alternativas de futuro e de sucessão.
A sondagem pode dar uma margem de erro minima ou mesmo nula. Mas o resultado final será sempre errático, seja ele qual for.
A ver vamos...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Jornal O Herminio

Não resisti a postar um comentário que recebemos no nosso Blog.
Impressionante como este não diz nem bem nem mal de nós, mas diz o que é a maior verdade sobre as nossas intenções. Caro Anónimo, um muito obrigado.
Cá fica então:

“Faz precisamente dois anos que o Jornal O Herminio iniciou a sua aventura neste mundo da Web. Foi em Fevereiro de 2007 que quis dar "voz" a Gouveia neste mundo virtual que todos apelidam de futuro da comunicação. Na altura num outro servidor, foi dado um passo importante, lembro-me na altura não haver um espaço dedicado ao concelho, existia já alguns casos de localidades como Moimenta, mas nada como o Jornal O Herminio fez, sobretudo tocar na ferida e implantar uma nova ideologia e corrente de pensamento, sempre com um só objectivo, O FUTURO DE GOUVEIA! A inércia e o marasmo que se vivia na cidade , sobretudo na passividade das suas gentes, era preciso agitar as consciências e conseguimos. Hoje passados dois anos temos seis blogs sobre Gouveia, não discutindo a qualidade de cada um, aquilo que é preciso assimilar é que surgiu uma linha progressista, onde todos têm o seu espaço. Poderão abrir portas importantes à cidadania que tanto tenho lutado como factor fundamental ao desenvolvimento da cidade e do concelho. Quem sabe se daqui a pouco tempo não existe um encontro de blogistas de Gouveia, uma conferência...um debate...quem sabe! Por certo que Gouveia ficaria a ganhar. Temas não faltam, ideias também...as soluções encontram-se entre fundamentalismos e experiências.
Queria agradecer a todos aqueles que assiduamente despendem do seu tempo a ler este espaço e à força que têm dado para dar continuidade a este trabalho...a todos Bem Hajam!”

calados é que nunca!


Caro companheiro, parecemos de guerras diferentes. Tu falas em bons actos e eu em busca da desordem…
Aqui há dias, uma senhora que comentava sob o nome “Sonhadora”, disse que iria mandar informação de ouro para que postássemos umas realidades feias que se passam na Escola Secundaria de Gouveia. E ficou de nos enviar para o Blog ou por Email, o facto é que não o fez ainda. Desde então são frequentes os Emails a chegar a perguntar pelas tais denuncias, alguns de professores e outros não sei quem. Eles querem é saber, eu também e Gouveia está em pulgas por isso.
Caneco, o que se passa por lá na ESG?
Eu não me esqueci, que nessa conversa com a “Sonhadora”, prometi que também iria contar umas que eu sabia, mas dava jeito esse empurrão que ela nos prometeu.
Será que foi silenciada por lá? Já andam rumores a correr, que por lá, se olhavam uns aos outros de forma desconfiada… quem será o bufo, quem será?
Mas pelos Emails que recebemos tudo aponta que se um começa, a coisa vai dar que falar…
Vá lá, calados é que nunca!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Empresa Municipal





Há por aí muito boa gente que não sonha nem o que é nem o que faz a DLCG - Empresa Municipal.
Para os embrutecidos do costume, trata-se de uma Organização que gasta, faz festas e pouco mais...
Não é assim.
A Empresa tem um Orçamento anual de cerca de 1.400.000 mil euros, muito mais do que a esmagadora maioria (senão mesmo a totalidade) das sociedades que operam no Concelho.
Tem a seu cargo o turismo, o lazer, a cultura e o desporto de Gouveia.
Gere o Teatro-Cine, o Estádio Municipal, as Piscinas cobertas e as descobertas, o Museu da Miniatura Automóvel, o Pavilhão Gimno-desportivo, o Parque Biológico e o Posto de Turismo, organizando todos os eventos que ocorrem nesses espaços e quase todas as iniciativas promocionais de Gouveia, inclusivé as Festas do Senhor do Calvário e Festa do Queijo/Carnaval.
Dizer-se, como já foi dito, que para cumprir esta sua função só precisa de encomendar e pagar, é um disparate que só assenta bem a ignorantes.
A dedicação e o esforço de todo o pessoal da Empresa é por demais conhecido e reconhecido, ficando muito mal a quem reduz tudo aos cifrões (modernamente chamados euros) ignorar quem tanto se entrega em prol de todos nós.
A sorte e o êxito dão muito trabalho. Não se conquistam só com dinheiro que, como se sabe, não é elástico.
Na formação desportiva dos jovens, por exemplo, a DLCG tem assumido um papel relevantíssimo, mas raras vezes lembrado.
Diz o ditado que 'santos da casa não fazem milagres', pelo que ninguém espere votos de congratulação oriundos 'cá de dentro'.
Mas é grato saber que na GALA DO DESPORTO 2009, promovida pelo Jornal Nova Guarda, a DLCG foi distinguida como o melhor Clube do ano em Andebol masculino, facto a que não é alheio ter sido campeão regional de minis e campeão regional de iniciados masculinos daquela modalidade.
No Ténis, a DLCG já deu passos seguros e na Natação exibe-se já a grande nivel por esse país fora.
Já agora e também por gratidão gouveense, aqui fica a justa homenagem ao Clube Desportivo de Gouveia, também recebedor naquela Gala do prémio correspondente a Campeão Distrital de futebol em infantis e juniores e à Fundação D. Laura dos Santos, que domina o distrito no Futebol Feminino.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Blogers unidos por Gouveia


É cada vez maior a comunidade de Blogers em Gouveia.
Não tarda estamos no top 10 da cidade mais Bloguista do país.
Alias a até se está a criar uma amizade entre os Blogers de que já nos orgulhamos.
Não tarda estaremos todos num Blog único chamado gouveiaósfera onde postamos de minuto a minuto e não haverá quem se atreva a ligar à net sem ir lá saber o que é o jantar.
Não é aí que queremos chegar, mas andar por Gouveia sabendo que estamos a fazer um serviço público é já um começo para uma melhoria.
Sabemos que não vai ser com este Blog que iremos mudar as mentalidades mas com muitos certamente que a coisa mexe. Ai mexe, já está a mexer…

Por exemplo, convido o meu colega de escrita e todos os blogs de cá da terra a mostrar aos outros o que de melhor temos por cá, pode ser que assim consigamos calar essas bocas que só dizem mal de tudo e não fazem nada.

Convido os nossos visitantes a irem mandando aquelas coisas que só nós temos de melhor. E um destes dias faremos sair uma bomba de Emails para a nossa Base de dados de cerca de 200 mil contactos com essa lista.
Se não tivermos uma sugestão melhor para o nome, chamar-lhe-emos:
“O melhor da nossa Estrela”
Cá vai o meu contributo:
1. O nosso queijo, não há queijo como o nosso;
2. A Agua da nossa Serra (Agua Serra da Estrela) que se bebe por todo o país;
3. A subida para a Serra não tem igual, qual ir por Seia ou por Piódão?
4. …

Os de fora não sabem ainda o que de bom tem Gouveia, nem alguns dos de cá, mas é por pouco tempo.

Pensar nos jovens, idosos e empresários!

O executivo municipal tomou recentemente duas medidas que reputo de uma importância extrema.

Implementou um programa de apoio à fixação de jovens e outro de incentivo à criação de emprego.


Quanto à fixação de jovens de idade inferior a 35 anos, decidiu atribuir-lhes um 'subsidio' mensal no arrendamento de casa no Concelho, desde que preencham determinados requisitos de acesso ao programa.

Se esses mesmos jovens quiserem comprar ou construir casa, então beneficiarão de um apoio correspondente ao produto da multiplicação da area bruta de construção pelo valor de 1,70€.
Para que se perceba o alcance prático desta medida, numa construção com 250 m2, a Câmara suporta 425€. É certo que este valor considerado individualmente, pode não representar uma ajuda expressiva. Mas se o adicionarmos a todos os apoios que o Municipio pode ter que dar (quem dera que fossem muitos, era bom sinal...), então o 'bolo' arrisca-se a assumir proporções
que obrigam o executivo a fazer muitas contas.
Quanto ao incentivo à criação de emprego, foi muito mais criativo que a já gasta subsidiação com um determinado valor por cada posto de trabalho.
A entidade patronal passa a receber um montante mensal equivalente a 10% ou 15% do valor da taxa social única que tem de pagar à Segurança Social por cada novo emprego criado, consoante o trabalhador tenha idade superior ou inferior a 35 anos, respectivamente, e isto independentemente do contrato de trabalho ser celebrado a termo ou por tempo indeterminado.
Tomara também o Município e o Concelho que no final do ano a Câmara tivesse de recorrer a empréstimos bancários ou, em alternativa, deixar de fazer outras obras que já tem planeadas para entregar muitas das suas receitas nos Serviços da Segurança Social.
Era a melhor demonstração de que o emprego tinha crescido e que estas medidas (com efeitos a partir de 1/1/2009), se tinham revelado certeiras e estimulantes.
Já se sabe que quem recebe acha sempre pouco e que quem paga acha sempre demais.
Também poucos terão dúvidas de que nesta nova era, a função das Câmaras é muito mais promover o emprego do que arranjá-lo directamente.
Partindo destes pressupostos, parece inquestionavel que a autarquia deu passos equilibrados e acertados, embora o balanço e as repercussões das medidas só no final do ano possam ser avaliadas.
Para já, aqui fica um desafio para quem quer investir no Concelho quer na habitação quer na criação de emprego.
Mas, para ser justo, o meu aplauso vai mais longe.
A Câmara decidiu igualmente deliberar que os idosos com rendimentos mais modestos passem a beneficiar de uma redução de 50% na pagamento das tarifas do lixo e de saneamento cobradas juntamente com os recibos da água.
Eis uma ajuda igualmente relevante para as classes mais desfavorecidas.
Em tempos de crise, convenhamos que relembrar estes factos é, no minimo, um acto de gratidão.



domingo, 15 de fevereiro de 2009

Falar ao espelho

video
Este video fala por si. Vale mesmo a pena ver.

Defeito de fabrico


Acabaram de me ligar. Já o tinham feito antes.


É caso que para dizer que há visitantes deste blogue que 'não dormem'.


Houve já duas pessoas que me perguntaram, com compreensivel e fundada curiosidade, se eu também não dormia.


É certo que já tive melhores noites, mas tento não carregar numa tecla em periodos que devo dedicar à almofada.


Se notarem, vários textos da minha autoria aparecem publicados a horas de noite profunda.


Errado. Asseguro que nunca 'postei' nada nem depois das 2h nem antes das 7h da manhã.


A verdade é que por insondaveis razões que eu não domino mas que alguém mais versado em informática irá descobrir e reparar (estás tramado, companheiro serra da estrela...???) a hora que fica inscrita na parte inferior do texto não corresponde á verdadeira hora da publicação.


O blogue anda, pois, com os fusos trocados. Ou será o meu portátil, que é de produção japonesa e ainda trabalha com os olhos rasgados e mal abertos?


Será que é por isso que já ouvi dizer que nós por cá devemos pensar à Tóquio (ou Nova Iorque, tanto faz...) e executar à Gouveia?


Ou devemos fazer ao contrário? Pensar à Gouveia e agir à Tóquio?


Aqui ficam duas equações para matemáticos comentarem.


A receita para encher a casa.


Oh meu caro camarada de escrita.
Tão grande é o meu remorso de não ter ido ver tal repasto cultural.
Não fui e tenho pena, talvez o dia não fosse o mais propício para os casais, pois, como dizias, foram para os “Lá em casas” cá do sítio ou para Viseu para o Burger-Minhoca.
Mas tenho pudor de saber que estava lá assim uma minoria vergonhosa. Tenho pudor por não ter ido. Assumo! Ao menos fiquei em casa.
Só por isso não me vou manifestar.
Ou melhor, até vou.
Vou tirar a pele que visto e comentar os que não foram, como eu!

Ir lá para vez quem partilha a nossa língua, e é de todo mais dotado para as artes que nós é sem duvida um privilegio. Mas depois vem o embaraço de ser visto ali.
“Poxa, já fui visto por aquele gajo que sabe que passo a vida a dizer mal de tudo quanto é iniciativa da Sra Câmara… Que mau. Estes tipos tinham logo que vir aqui actuar. Não podia ser em Seia?
Bem dou aqui a volta à rotunda e faço de contas que ando em busca de parque para ir jantar ao hotel e vou-me já daqui!
Ca porra, logo aqui em Gouveia. Esses gajos da Câmara são do pior!”

Isto é uma modalidade… a outra terá acontecido quando veio a Rita Red Shoes e o David Fonseca. A malta encheu a casa, e era inevitável ir lá. O cartaz era irresistível!
Era tão bom, tão bom, que só podia ser engano da Sra DLCG ou da Sra Câmara.
“Estes gajos nunca iriam cá trazer…” ou “…não vou lá que é coisa de politica. Esse David é um vendido!”

Por fim resta uma questão. Não terá a DLCG exagerado na dose? Não terá havido aqui um exagero no bom gosto? Uma overdose cultural?
Zeca Afonso e Carlos Paredes? Quem serão esses? E a Grândola Vila Morena, que é essa maluca?
Não terá sido essa a falha da DLCG?
Cá fica a receita:
Experimentem o Toy ou um Tony Carreira ou quando muito uma compilação non-stop da Vila Faia e vão ver que a casa vai encher. E, sem querer ser muito mau, uma comezaina à borla, e aí, até os da outra banda aparecem.
Sabemos tão bem que, cá é assim… nao é?
Palavra de mestre!

Elite Gouveense???



O espectáculo de ontem à noite no Teatro-Cine teve uma qualidade apreciável.

Dois jovens, um no piano e com formação de jazz e outro na viola e com formação de fado, prestaram uma belissíma homenagem a Zeca Afonso e Carlos Paredes.

Parece-me que tão depressa não teremos por cá um concerto deste género (acordes de viola 'salteados' com umas notas de jazz e flamenco...) e com este nivel.


Parabéns à DLCG e a quem foi directamente responsável por esta escolha, já que mais não seja porque o primeiro disco deste dueto foi gravado há uns meses precisamente no Teatro-Cine de Gouveia.


Para quem não saiba, esta gravação ocorreu no âmbito das 'residências artisticas' que nos últimos dois anos foram acolhidas e promovidas pelo Municipio, numa tentativa de revitalizar a oferta cultural do Concelho.


Como tem sido comummente reconhecido, a programação adoptada melhorou e os Gouveenses têm tido a possibilidade de assistir a espectáculos dignos dos grandes palcos das principais cidades do país.


É pena que não tenham sabido aproveitá-las, pelo menos com a dimensão que era expectável.


Se bem repararem, a nossa sala só se compõe quando as Associações do Concelho ali produzem qualquer iniciativa.


A explicação é só uma: vem a familia e os amigos assistir, mais por solidariedade e orgulho 'para com os seus pares', do que pela excelência da actuação (que também se verifica em muitos casos).


A reflexão que todos devemos fazer é, pois, avaliar se vale a pena continuarmos a investir numa cultura que um povo parece desprezar.


Continuo a pensar que sim, porque acredito que as rotinas e os gostos se constroiem, ainda que vagarosamente e e mesmo que o seu alvo seja uma população consumista de futebol, novelas e pouco mais (já nem Fado e Fátima)...


Ontem estavam apenas 28 pessoas no Teatro-Cine. Que imagem negativa, que desalento, que vergonha...


É claro que a receita de bilheteira (ainda por cima com o casal a pagar um só ingresso, por designio do S. Valentim), não paga nem o custo do concerto nem os encargos com a energia e com os meios humanos que a Empresa Municipal está obrigada a disponibilizar.


Mas é este o custo social destas 'coisas da cultura', que têm de existir, mesmo que seja para poucos.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

ARTIGO DEMOLIDOR

(POR CLARA FERREIRA ALVES)

Não admira que num país assim emerjam cavalgaduras, que chegam ao topo, dizendo ter formação, que nunca adquiriram, que usem dinheiros públicos (fortunas escandalosas) para se promoverem pessoalmente face a um público acrítico, burro e embrutecido.

Este é um país em que a Câmara Municipal de Lisboa, desde o 25 de Abril distribui casas de RENDA ECONÓMICA - mas não de construção económica - aos seus altos funcionários e jornalistas, em que estes últimos, em atitude de gratidão, passaram a esconder as verdadeiras notícias e passaram a "prostituir-se" na sua dignidade profissional, a troco de participar nos roubos de dinheiros públicos, destinados a gente carenciada, mas mais honesta que estes bandalhos.

Em dado momento a actividade do jornalismo constituiu-se como O VERDADEIRO PODER. Só pela sua acção se sabia a verdade sobre os podres forjados pelos políticos e pelo poder judicial. Agora contínua a ser o VERDADEIRO PODER mas senta-se à mesa dos corruptos e com eles partilha os despojos, rapando os ossos ao esqueleto deste povo burro e embrutecido.

Para garantir que vai continuar burro o grande cavallia (que em português significa cavalgadura) desferiu o golpe de morte ao ensino público e coroou a acção com a criação das Novas Oportunidades.

Gente assim mal formada vai aceitar tudo e o país será o pátio de recreio dos mafiosos.

A justiça portuguesa não é apenas cega. É surda, muda, coxa e marreca.

Portugal tem um défice de responsabilidade civil, criminal e moral muito maior do que o seu défice financeiro, e nenhum português se preocupa com isso, apesar de pagar os custos da morosidade, do secretismo, do encobrimento, do compadrio e da corrupção.

Os portugueses, na sua infinita e pacata desordem existencial, acham tudo normal" e encolhem os ombros. Por uma vez gostava que em Portugal alguma coisa tivesse um fim, ponto final, assunto arrumado. Não se fala mais nisso... Vivemos no país mais inconclusivo do mundo, em permanente agitação sobre tudo e sem concluir nada.

Desde os Templários e as obras de Santa Engrácia, que se sabe que, nada acaba em Portugal, nada é levado às últimas consequências, nada é definitivo e tudo é improvisado, temporário, desenrascado.

Da morte de Francisco Sá Carneiro e do eterno mistério que a rodeia, foi crime, não foi crime, ao desaparecimento de Madeleine McCann ou ao caso Casa Pia, sabemos de antemão que nunca saberemos o fim destas histórias, nem o que verdadeiramente se passou, nem quem são os criminosos ou quantos crimes houve.

Tudo a que temos direito são informações caídas a conta-gotas, pedaços de enigma, peças do quebra-cabeças. E habituámo-nos a prescindir de apurar a verdade porque intimamente achamos que não saber o final da história é uma coisa normal em Portugal, e que este é um país onde as coisas importantes são "abafadas", como se vivêssemos ainda em ditadura.

E os novos códigos Penal e de Processo Penal em nada vão mudar este estado de coisas…

Apesar dos jornais e das televisões, dos blogs, dos computadores e da Internet, apesar de termos acesso em tempo real ao maior número de notícias de sempre, continuamos sem saber nada, e esperando nunca vir a saber com toda a naturalidade.

Do caso Portucale à Operação Furacão, da compra dos submarinos às escutas ao primeiro-ministro, do caso da Universidade Independente ao caso da Universidade Moderna, do Futebol Clube do Porto ao Sport Lisboa Benfica, da corrupção dos árbitros à corrupção dos autarcas, de Fátima Felgueiras a Isaltino Morais, da Braga Parques ao grande empresário Bibi, das queixas tardias de Catalina Pestana às de João Cravinho, há por aí alguém quem acredite que algum destes secretos arquivos e seus possíveis e alegados, muitos alegados crimes, acabem por ser investigados, julgados e devidamente punidos?

Vale e Azevedo pagou por todos?

Quem se lembra dos doentes infectados por acidente e negligência de Leonor Beleza com o
vírus da sida?

Quem se lembra do miúdo electrocutado no semáforo e do outro afogado num parque aquático?

Quem se lembra das crianças assassinadas na Madeira e do mistério dos crimes imputados ao Padre Frederico?

Quem se lembra que um dos raros condenados em Portugal, o mesmo padre Frederico, acabou a passear no Calçadão de Copacabana?

Quem se lembra do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja cabeça foi roubada do Instituto de Medicina Legal?

Em todos estes casos, e muitos outros, menos falados e tão sombrios e enrodilhados como estes, a verdade a que tivemos direito foi nenhuma.

No caso McCann, cujos desenvolvimentos vão do escabroso ao incrível, alguém acredita que se venha a descobrir o corpo da criança ou a condenar alguém?

As últimas notícias dizem que Gerry McCann não seria pai biológico da criança, contribuindo para a confusão desta investigação em que a Polícia espalha rumores e indícios que não têm substância.

E a miúda desaparecida em Figueira? O que lhe aconteceu? E todas as crianças desaparecida antes delas, quem as procurou?

E o processo do Parque, onde tantos clientes buscavam prostitutos, alguns menores, onde tanta gente "importante" estava envolvida, o que aconteceu?

Arranjou-se um bode expiatório, foi o que aconteceu…

E as famosas fotografias de Teresa Costa Macedo? Aquelas em que ela reconheceu imensa gente "importante", jogadores de futebol, milionários, políticos, onde estão? Foram destruídas? Quem as destruiu e porquê?

E os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran mais os negócios escuros do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal, onde é que isso pára?

O mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz, apeado por causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para a sua filha.

E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter assassinado doentes por negligência? Exerce medicina?

E os que sobram e todos os dias vão praticando os seus crimes de colarinho branco sabendo que a justiça portuguesa não é apenas cega, é surda, muda, coxa e marreca.

Passado o prazo da intriga e do sensacionalismo, todos estes casos são arquivados nas gavetas das nossas consciências e condenados ao esquecimento.


Ninguém quer saber a verdade. Ou, pelo menos, tentar saber a verdade…

Nunca saberemos a verdade sobre o caso Casa Pia, nem saberemos quem eram as redes e os "senhores importantes" que abusaram, abusam e abusarão de crianças em Portugal, sejam rapazes ou raparigas, visto que os abusos sobre meninas ficaram sempre na sombra.

Existe em Portugal uma camada subterrânea de segredos e injustiças , de protecções e lavagens , de corporações e famílias , de eminências e reputações, de dinheiros e negociações que impede a escavação da verdade.

Este é o maior fracasso da democracia portuguesa…

Clara Ferreira Alves - "Expresso"

Despedidas...

Sossegue quem gosta de mim e desiluda-se quem não gosta.
Não me vou despedir do blogue. Amanhã ou depois, cá estarei com uma outra qualquer reflexão.
A de hoje prende-se com as festas (ou simplesmente jantares) de despedida de alguém.
Acontece frequentemente um colega de trabalho ser lembrado e homenageado na hora de se ir embora. Ou para outro local, ou para outro emprego, ou para a reforma.
A tentação (quase obrigação) de quem fica, é logo organizar uma 'comezaina' onde são sempre ditas umas palavras emocionadas, algumas vezes merecidas e sentidas, outras a aparentar ladainhas de circunstância.
O que não se percebe é a razão pela qual se festeja a anunciada fuga ou ausência de quem se gosta.
Pois, porque o natural é que os aderentes à homenagem apreciem o homenageado e não aproveitem o repasto só para apanhar uma piela ou só para estar fora de casa por umas horas.
Se a ideia é recordar e evocar as qualidades humanas, pessoais e profissionais do 'despedido', então a sua saída devia ser assinalada com um choro e com um pesar colectivo.
Mas não. Batem-se palmas, bebem-se uns copos, dão-se umas gargalhadas, desejam-se êxitos e, no dia seguinte, tudo se passa como se o homem ou a mulher tivesse sido indiferente ou nunca tivesse existido.
A festa parece, pois, inconciliavel com o acto que se pretende festejar.
O melhor é começarmos a comemorar sempre os ingressos ou as chegadas, mesmo que não conheçamos quem se nos apresenta de novo.
Se na hora do adeus não tivermos gostado do género, aí sim, vamos ao jantar e festejamos novamente.
Se quem nos deixa tiver deixado boas impressões e saudades, então ficamos em casa e carpimos as mágoas.
Estarei a pensar mal?

Saturday night


Em Gouveia podem não se fazer grandes compras ao Domingo.
Mas ao Sábado, vai havendo alternativas, muitas vezes dificeis de encontrar noutros lados.
É de aproveitar e comprar um ingresso no Teatro-Cine.
Para quem não sabe, a programação cultural adoptada pela DLCG (Empresa Municipal) oferece normalmente um espectáculo de musica ou teatro aos Sábados à noite e cinema só às Sextas e Domingos.
Este Sábado (14/02), pelas 21.30h, exibirá um 'tributo' a Zeca Afonso e Carlos Paredes, dois expoentes da guitarra portuguesa.
A não perder.
Para quem se queixa de que 'nada se passa', aqui está uma oportunidade para mudar de opinião e saborear algo de diferente e com qualidade.
È claro que os namorados, mesmo com bilhetes oferecidos (dificil tarefa esta, de saber quem namora com quem...) estarão nos 'Lá em Casa' da região, mas quem já o foi e quem ainda não o é, tem aqui um programa que se espera encantador.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Shopping Center

Já pensou se é possivel transpôr esta imagem para a realidade de Gouveia a um Domingo?
Para quem não percebe o que está ver, esclareço que se trata de três senhoras às compras.
Encontrar três senhoras juntas na nossa terra, não sendo habitual, também não é raro. Encontrar essas mesmas três senhoras de mini-saia ou de vestido curto, é mais raro que habitual, mas também é possivel. Encontrar três senhoras juntas, com a indumentária que estas apresentam e com os sacos que transportam, já se torna muita coisa junta para ser possivel.
O pior mesmo será encontrá-las a fazer tudo isso ao Domingo em Gouveia, pelo menos da Rotunda do defunto Lagar de Azeite para cima.
No LIDL, no Intermarche, no Pessoa Lopes e no Sempreviva, tudo pode acontecer. Trabalha-se diariamente e até mais intensamente ao fim de semana.
Agora no centro da cidade (há quem lhe chame 'gouveia antiga'), só me ocorrem três honrosas excepções, o que é pouco, muito pouco, para a sobrevivência da nossa 'urbe'.
A primeira é o Super Rosa, ao lado do Quartel de Bombeiros, da super D. São, que lá vai resistindo, faça sol ou faça chuva, como se os Domingos fossem dias iguais aos outros.
A segunda é a loja dos 'chineses' que se instalou no ex BNU, pertencente a uns 'colonos' habituados à competição de um mundo global, onde o trabalho - por vezes levado ao extremo - supera qualquer tentativa de ócio e descanso.
A terceira, embora a outro nivel, é o Posto de Turismo de Gouveia, que divulga mas também vende produtos regionais e 'merchandising' de gosto e qualidade indiscutivel.
Fora estes três óasis comerciais, encontramos todas (ou quase todas) as portas trancadas.
As Senhoras têm de rumar até Viseu ou, se não quiserem andar tanto, podem agarrar aqueles sacos aqui mais perto, em Seia ou até em S. Romão.
Neste aspecto, Gouveia falha rotundamente. Não sei se a Associação Comercial quer ou pode alterar a situação, mas é urgente que a repense e reequacione a abertura de muitas outras lojas ao Domingo.
Será um disparate substituir o dia de descanso semanal, fixando, por exemplo a segunda feira ou qualquer outro dia da semana?
Os comerciantes dirão, porventura com razão, que se abrirem ao Domingo estão às moscas e que têm mais prejuizos que beneficios. Mas o público dirá, também com razão, que não vem a Gouveia porque o comércio está encerrado.
Vivemos, pois, num cenário de 'pescadinha de rabo na boca' que prejudica a imagem do Concelho e a produtividade das suas gentes.
Porque será que os feirantes escolhem - e a autarquia acede - em realizar as feiras semanais ao Domingo quando 5a feira é dia feriado?
Não é, seguramente, para verem as Senhoras de mini-saia...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Centro de Saúde de Gouveia


Ena, esta que me contaram é demais.
Um Sr. que não é cá da terra, sentiu-se mal, e foi com um Sr. que é cá da terra ao Centro de Saúde de Gouveia. Por falta de sorte a Sra. Enfermeira que o atendeu tinha uma qualquer desavença com o Sr. que é cá da terra e vai de lavar ali uma roupa suja na hora do atendimento do outro que estava a abafar.
A coisa vai parar ao Livro Amarelo e… e nada!
A Sra Directora do Centro de Saúde de Gouveia responde por carta ao queixoso, dizendo que ele é que se meteu com a Enfermeira, e que o culpado é ele. Claro, são colegas de trabalho não a ia agora chatear, coitada…
Nisto o queixoso volta a reiterar a queixa por escrito, pedindo à Sra Directora que se justificasse pela resposta tendenciosa e injusta e até à data… nada.
Dois meses depois… nada.
Onde está a lei?
Respeito pelo utente?
O direito a reclamar?
Certamente que lá anda a Directora e o rol de amigos sentados os dois à esquina a tocar a concertina e a dançar o solidó.
Ai do queixoso que fique doente e tenha que lá ir que até o lá comem vivo!
E o tal Sr. de fora que vá lá ficar doente para a terra dele que aqui ainda o desmancham para peças.

Quando precisarem do 112 ... MUITO ÚTIL!

Há pouco tempo, um homem percebeu que havia pessoas dentro da
sua garagem, em Lisboa, a roubar. Ligou para o 112, atendeu a polícia,
mas disseram que não havia ninguém por perto para ajudar e que
mandariam alguém assim que possível. Desligou.

Uns minutos depois, ligou novamente e disse: 'Olá, eu liguei há
bocado porque estavam pessoas a assaltar a minha garagem. Já não é
preciso virem depressa, porque eu matei-os'.

Passado pouco tempo, estavam meia dúzia de carros da polícia na
área, uma ambulância e uma unidade do INEM. Os ladrões foram apanhados
em flagrante.

Um dos polícias disse:
- 'Pensei que tivesse dito que os tinha morto!'

Ao que o senhor respondeu:
- 'Pensei que tinham dito que não havia ninguém disponível.'

É assim. Quando precisarem, já sabem....

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

O tango e o folclore tradicional

Vejam neste vídeo como o tango argentino é recuperado e posto num formato que é apreciado por todas as idades.



Não será isto uma boa dica para dar às bandas filarmónicas e aos ranchos folclóricos e até aos fadistas?
Só assim se conservam tradições, com conservadorismo adaptado aos novos interesses.
"Percanta" de Otros Aires.
Nota 20!

O seu a seu dono!










Meu caro companheiro de blogue: Eu também acho que pontuámos... e de que maneira. Não se trata propriamente de uma vitória, porque não estamos num jogo em que tenha de haver vencedores e vencidos.

Mas demonstrámos que a nossa ideia, podendo não ter sido genuina, foi compreendida, apreciada e até invejada ( passe o excesso da expressão) e só por isso teve tão pressurosos seguidores, os novos apóstolos da blogosfera gouveense, que também eu admiro.

O que se pretende, afinal, é que nesta terra aparentemente amorfa de opinião construtiva, se incentive a participação civica, a discussão e a troca de argumentos que possa ser útil pelo menos a quem é responsavel pela condução do nosso destino colectivo. É bom para todos!

O que é pena é que fica a sensação que pelo menos uma das novas criações pretende ser uma espécie de contra-veneno para combater a tese - já expressamente anunciada -de que este nosso fórum se apresenta, aqui e ali, servilista e bajuladora da actual gestão autárquica.

Tanto merece censura quem peca por excesso como quem peca por defeito no seu autismo retaliador e contestatário. No equilibrio está a virtude e é esta que procuramos alcançar.

É bom que todos saibam que começámos a escrever sobre 'Rotundas' - não só as de Gouveia - e que já 'postámos e postaremos' muitos outros pensamentos que nada têm que ver com os Paços do Concelho e com quem ocupa as suas cadeiras.

Mas não negamos que não podemos ser gratuitamente criticos por 'dá cá aquela palha', nem deitar abaixo o que pensamos ter sido executado com mais êxito, com mais estratégia e com indiscutivel mais retorno que no passado.

Não é nem nunca foi nosso propósito eclipsarmo-nos lá para Outubro, logo que já não haja propaganda politico-partidária para fazer, o que pode acontecer a quem só nasceu para tentar exterminar quem já por cá andava a tornar publicas as suas posições.

Está claro que tudo é possivel e ninguém pode no seu juizo perfeito auscultar o futuro de forma profética e segura.

O que asseguramos é que prosseguiremos o nosso caminho. Aproveitaremos sempre para publicar umas notas sobre o que por cá se vai fazendo, até porque acreditamos que as iniciativas denvolvidas - com óbvios e democráticos desacordos - só podem ajudar e projectar Gouveia se primeiro contarem com o envolvimento do maior número possivel de Gouveenses, designadamente daqueles que foram eleitos para os Orgãos da Autarquia.

A 'talhe de foice', não vimos os vereadores da oposição nas recentes comemorações da elevação de Gouveia a cidade, onde não só perderam a oportunidade de homenagear ilustres personagens da nossa história - a CDU lá estava, com sentido de responsabilidade e gratidão - como deixaram a ideia de que não têm orgulho nem interesse nesta importante promoção...

O triste caldo de cultura politica desta terra é, quase sempre, o divisionismo, a fractura e a recorrente ausência daqueles que em nome da nossa bandeira (que é diferente da dos partidos que cada um representa) deviam estar obrigados a dar as mãos em momentos e em estratégias decisivas para o Concelho.

Nós (tam)bem queriamos que fosse assim. Não é impossivel, mesmo sem os unanimismos quase sempre desaconselháveis..

A GSM-ó-dependencia



Que flagelo que assolou a nossa sociedade! O Telemóvel. Pior, as SMS!
Toda a gente tem. Um dois ou três. Que vicio! Pior que o tabaco.
É adultos e pequenos putos de 9 anos na escola e na rua.
É malta a andar nos passeios a pé a teclar 300 caracteres por minuto e nem olham por onde vão, indo contra os postes e quem passa.
“- É pá viste aquele acidente ali?”
“Não, estava a mandar-te um SMS para ver se sabias que barulho era aquele…”

“Que mau que isto anda, não há rede aqui, maldita terra esta, terceiro mundo.”

O namorado não diz a ela porque tem vergonha e está ali ao lado, mas fá-lo por SMS. Ela não responde que não tem saldo e ele deixa-a. E tudo por SMS.
E os putos, o que manda eles uns para os outros?
“Olá, tas boa? Já deste comer ao Tamagotchi?”

Que cena má.

E na escola? Tá tudo a teclar. Até o professor.
Eu fui beber um copo ao Bá-Lamba em Gouveia com 2 manos e um amigo deles e lá estava o tipo a tentar fingir que nos ouvia e teclava e teclava e lia e teclava e fingia.

E os estagiários que teclam convictos que já é normal?
É isso que está a acontecer. As pessoas já o acham normal. NÃO É NADA NORMAL!

Ninguém se impõe?
É já uma manif.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

A Vitoria é nossa



Pois é, o Blog estrelasdegouveia veio mesmo fazer algo por esta terra, e era mesmo essa a nossa ideia, caros conterrâneos. Nem mais nem menos.
Não viemos para aqui fazer e acontecer e … calados é que nunca.
Vejamos, desde que aparecemos na Blogosfera no início deste ano já agitamos tanto lodo que já há mais dois Blogs cá na terra! E mais virão que cá sempre assim foi.
Um monta um café e passado uns meses é só cafés, outro abriu um minimercado e pimba, há mais que clientes. Lojas de informática idem, e oficinas?
Agora são os Blogs! Só que aqui não se ganha, só se dá a ganhar!
Mas sejam bem vindos os que vierem por bem. Venham mais cinco que serão bem vindos também.
Comento directamente o Blog ribeiraajax.blogspot.com. Seja bem-vindo, à Blogosfera que rodeia Gouveia! Não entendo é porque andou pelo nosso Blog a postar comentários anónimos só com o endereço do seu Blog, mas está bem, somos prendados de “Fair Play”, só porque acreditamos que o seu Blog não nasceu para dizer mal de tudo que por cá se faz, vamos coloca-lo ali à direita na lista dos BlogZamigos.
E o outro Blog que nasceu também a 1 de Fev 09? Já me falaram nele mas não o descobri. Gostaríamos de trocar ideias e pô-lo na lista e quem sabe fazer algo por isto por cá. É a nossa missão. Digam qualquer coisa.

A feira que nos deixou...


Aqui está uma imagem parcial da Feira de Campo e Caça deste fim de semana.
Foi com este aspecto digno (digo eu...) que ficou o velhissimo Pavilhão da Ex- Bellino e Bellino.
Um exemplo de profissionalismo, de criatividade e de capacidade de aproveitamento de um espaço até agora votado a quase nada.
Quem dera ao Afeganistão, ao Iraque e a outros tantos 'serem um bocadinho Gouveia' por estes dias...
Se o nosso comentador 'agoraequebom' nos tivesse dado o prazer de visitar a feira, talvez não se importasse de também ser um iraquiano gouveense por 48 horas....
Pelo menos via como se lava uma cara, um acto de higiene que a Câmara tem de prosseguir como designio público.
Há por aí mais uns 'monos' a precisar de restauro ou de implosão, mas não se pode fazer tudo de uma vez.
Tenhamos esperança que aqui começará o bom exemplo.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

A grande falha do nosso Blog

Tenho andado a seguir atentamente os comentários de quem aqui vem opinar e deparei-me com uma falha enorme no nosso Blog…
Ora, é constante que se critique tudo e todos, e eu acho bem. Há que dizer mal, há que dizer pior ainda. É isso mesmo! O pessoal passa a vida a dizer mal do Sr. Presidente da Câmara e que os eventos só servem para ele se pavonear e para ser aplaudido. Isso, critiquem que é bom… e eu não sou contra isso. Não se deve ser rolha e calar as pessoas de ideias opostas. Isso nunca.
Daí que notei uma enorme falha no Blog. A malta critca, critica e diz mal de tudo e não lhe estamos a abrir uma porta para que eles exponham sugestões de melhoria.
Eu não acredito que, alguém que diga tanto mal, não tenha sugestões de melhoria. Isso seria muito mau. Muito feio!
Bem, de hoje em diante, iremos abrir aqui neste Blog uma lista onde todos poderão colocar as sugestões de melhoria.
Basta para tal enviar essas sugestões para estrelasdegouveia@sapo.pt ou simplesmente enviar um comentário.
Prometemos postar essa lista, e assim que tenhamos uma lista que o justifique, iremos apresenta-la pessoalmente ao Sr. Presidente da Câmara.
Palavra de Gouveense!

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Multiusos em Gouveia!!!




Um escriba do jornal 'Noticias de Gouveia', critico crónico do actual executivo municipal, veio dizer, num rasgo que pouco deve à originalidade, que o Presidente da Câmara podia abandonar o cargo ficando ligado a uma 'obra do regime', que indica como sendo um Pavilhão Multiusos.
Não há 'paróquia' deste país que não queira ter uma infra-estrutura com esse pomposo nome. Nós não somos excepção, simplesmente porque queremos ter tudo ou, pelo menos, o mais possivel.
Mas, pensando bem, até já tivemos coisa parecida. O Pavilhão da Ex-Auto Garagem Gouveense. Serviu para depósito de carros municipais, para pista de Karting, para uma exposição de carros e de outras mostras nas Festas da Cidade e, essencialmente, para comicios e bebicios.
Claro que nada disto ocorreu com a dignidade e com o brilho que oferece um edificio construido de raiz e previamente preparado para receber iniciativas de média ou de pujante dimensão.
Mas lá foi sendo dado o multiuso.
Em boa hora, esse degradado e inadaptado imóvel deu lugar ao novo Palácio da Justiça, que não tarda deixará de ser espreitado pelos tapumes da obra em curso.
O que nos sobrou? Até este fim de semana, todos diriam que nada. Enganaram-se. Outro multiusos 'renasceu' cá no burgo. Um dos pavilhões da Ex-Bellino e Bellino.
Depois do abondono a que foi votado com o encerramento da empresa, em 4 de Abril de 2002, O Município transformou-o em estacionamento gratuito e coberto. Também já serviu para uma episódica prova de pericia automovel. Agora, foi palco da Feira de Campo e Caça que, com reconhecido êxito, ali teve lugar de 6a feira passada a Domingo. Um Palco para espéctaculos, 37 expositores, uma área de restauração e uma zona de diversões infantil, preencheram o espaço.
Ora aqui está outro espaço que também já foi sujeito a vários usos. E não tarda, haverá quem defenda que é no seu interior que deve realizar-se a Festa do Queijo. Mais lá para a frente deste ano de eleições, poderá também ser requisitado para os comícios e bebícios próprios da altura.
Pois bem: O pavilhão em causa, não se parecendo obviamente com o da fotografia, que todos gostariamos de ter e que alguns, hoje identificados com PS de Gouveia (sim, hoje, porque dantes já tentaram a sua sorte noutro Partido...) advogam que deviam ser edificado mas que eles nunca edificaram, apesar de terem 20 anos de oportunidades para o fazer, permite que se retirem 2 conclusões e se lançe uma discussão:
1ª conclusão: O edificio da Ex-autogaragem não era, afinal, preciso para coisa nenhuma, pois as suas aptidões, ainda que débeis, existem noutro lugar central exactamente com as mesmas caracteristicas.
2ª conclusão: O escriba que acusa o actual Presidente da Câmara e, por arrastamento, os anteriores, que não fizeram diferente, fazendo-o com a acutilância fácil de quem nada tem que decidir (e por isso pode lançar as 'patacoadas' que quiser, pois nunca ninguém lhe pede 'contas'), é desmentido com a própria existência deste espaço da ex-Bellino e Bellino, a que Àlvaro Amaro está a dar um 'uso multi', sem que para isso tenha precisado de fazer uma obra de regime.
A discussão tem a ver com a verdadeira necessidade da construção de um Multiusos em Gouveia - que penso oferecerá poucas dúvidas, embora existam outras necessidades bem mais prementes - em local diferente deste pavilhão da Ex-Bellino e Bellino.
Numa palavra, era útil que os Gouveenses mais criticos e pensantes se pronunciassem sobre a matéria, pois entre a alternativa de demolir o que está e construir noutro lado, de melhorar o pavilhão existente e adaptá-lo aos usos possiveis, ou de deixar tudo com está e aproveitar os recursos financeiros para outras obras, nada mais parece sobrar.
Ou não será assim?